Campanha: Siga os bons exemplos!

As peças fazem parte da campanha de valorização do Sistema Transcol, que tem como tema principal o combate à evasão de receitas e a conscientização dos passageiros

As peças fazem parte da campanha de valorização do Sistema Transcol, que tem como tema principal o combate à evasão de receitas e a conscientização dos passageiros

Evasão de receitas é um crime contra toda a sociedade. Essa é a frase que norteia a campanha “Siga os Bons Exemplos”, que está em veiculação dentro e fora dos coletivos do Sistema Transcol e nas redes sociais.

Com peças que destacam os bons exemplos que passageiros e operadores praticam todos os dias, a campanha pretende chamar a atenção de usuários e trabalhadores para os prejuízos causados não só às empresas que operam o serviço, mas também para os funcionários que dependem do sistema para sustentar suas famílias, e para a população, que paga sempre que alguém tenta burlar as regras.

“Pulo de roleta, embarque irregular pelas portas traseiras, caronas, ambulantes que não pagam, gestantes e obesos que andam na dianteira, pagam a tarifa e não são contabilizados na catraca pelo cobrador, além das inúmeras fraudes às gratuidades. Tudo isso é caracterizado como evasão de receita, ou seja, quando alguém anda dentro do coletivo e não efetua o pagamento”, explica o diretor executivo do Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória – GVBus, Elias Baltazar.

De acordo com Elias, a campanha foi pensada após um levantamento pelo GVBus, que tais práticas representam um prejuízo de cerca de R$ 960 mil por mês, sendo R$ 375 mil somente decorrente do pulo de roleta.

“Com relação às fraudes, por exemplo, só no passado, aplicamos 6.798 penalidades por uso indevido de gratuidades. Com a campanha, além de alertar a população sobre os problemas causados pelo não pagamento da tarifa, esperamos levar informação e conscientizar sobre a valorização do transporte coletivo”, ressalta o diretor.

Campanha

Nessa primeira etapa foram elaboradas peças como cartazes, que foram distribuídos dentro dos coletivos, duas mídias em formato de busdoor, distribuídas nas traseiras dos ônibus, e conteúdo para as redes sociais.

A campanha alerta a população sobre como a evasão de receita impacta em toda a sociedade, e que andar sem pagar é crime

“A ideia foi trazer um tom positivo para situações graves que desvalorizam o sistema, como o pulo de roleta e as fraudes, mas que não são unanimidade, já que a maioria dos usuários utilizam o sistema corretamente. Dessa forma, sugerir que os passageiros ‘sigam os bons exemplos’ é uma maneira de destacar que as boas atitudes só irão favorecer a melhora do sistema para toda a sociedade”, explica a analista de comunicação do GVBus Katarine Rosalem.

A campanha tem como público alvo os passageiros e também o público interno das empresas, motoristas, cobradores, fiscais e administrativo. O conceito e as peças foram pensados pela equipe da agência Prósper.

Crime

Vale lembrar que utilizar o transporte público sem pagar é crime. Está lá, no artigo 176 do Código Penal, que prevê detenção de 15 dias a 2 meses ou multa. E não é só isso! Além de gerar um baita prejuízo para todo o sistema, essa pratica representa uma clara falta de respeito com os usuários que pagam a tarifa e com os profissionais que trabalham nos coletivos.

Comunicação GVBus

Autor Comunicação GVBus

Mais posts de Comunicação GVBus

Deixe um comentário