Expectativa de investimentos traz novo ânimo para 2019

Por dezembro 26, 2018Acontece, Capa
Apesar dos desafios que o próximo ano trará, empresários ficam otimistas com as promessas do governo eleito sobre investimentos em mobilidade e a possibilidade de alguns projetos saírem do papel, como o BRT

Apesar dos desafios que o próximo ano trará, empresários ficam otimistas com as promessas do governo eleito sobre investimentos em mobilidade e a possibilidade de alguns projetos saírem do papel, como o BRT

Superação e investimento: 2018 chega ao fim, e o balanço do Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória – GVBus é de que esse foi um ano de muito trabalho para superar as dificuldades da crise causada pela queda de demanda – que já acumula 18% de redução de passageiros desde 2014, mas também de esforços para investir em tecnologia e parcerias que irão aprimorar o atendimento à população.

E apesar das dificuldades, a palavra da vez é expectativa, já que o governo estadual eleito prometeu dar andamento a projetos de mobilidade urbana parados, como o BRT. Além disso, o setor espera que as administrações públicas tirarem do papel outras soluções que podem melhorar a velocidade nas vias e dar agilidade e fluidez ao transporte coletivo.

“Esperamos por iniciativas com o objetivo de melhorar a mobilidade na Região Metropolitana de Vitória, tanto do governo estadual como das prefeituras. Entendemos que há possibilidades que dependem de investimentos menores, como a criação de pistas exclusivas para ônibus, e que podem tornar as viagens mais rápidas”, vislumbra o membro do comitê executivo do GVBus, Anderson Lopes.

Unidos a esse otimismo, estão os investimentos feitos pelas empresas para modernizar o atendimento à população e os equipamentos dentro dos coletivos. Ações que irão melhorar o controle e a fiscalização das viagens, bem como aprimorar o relacionamento com os usuários.

Investimentos

“Mantivemos a instalação das catracas altas em todos os coletivos, continuamos investindo no Cartão Cidadão (Passe Fácil), em agosto lançamos um site mais dinâmico e estamos modernizando os equipamentos internos dentro dos coletivos. Já estamos instalando novos validadores, por exemplo, que irão integrar todos os dispositivos em um único aparelho, além de melhorar a qualidade das imagens capitadas pelas câmeras de videomonitoramento”, comemora o diretor executivo do GVBus, Elias Baltazar.

Uma das ações veio para facilitar a compra de passagens e melhorar o dia a dia dos passageiros do Sistema Transcol. Uma parceria firmada com a Dacasa Financeira possibilitou a utilização dos cartões de crédito da bandeira no pagamento de recarga dos cartões Escolar, Cidadão e Vale-transporte pessoa física com até 50 dias para começar a pagar. Além disso, a parceria com a Rede Farmes continua, o que facilitou a aquisição de créditos.

Elias explica que essas foram necessidades levantadas não só pelos empresários, mas também pelos operadores e pelos usuários. “Essas demandas estão sendo atendidas de acordo com a nossa capacidade de investimento”, ressalta.

Um dos pontos positivos de 2018 foi o empenho das empresas e do governo do estado para manter 100% da frota operante durante os 14 dias de greve dos caminhoneiros, em maio. O Sistema Transcol foi um dos poucos do país a não parar o serviço.

Segurança e combate a fraudes

Durante todo o ano de 2018, motoristas, cobradores e fiscais receberam capacitação e reciclagem nas garagens para atender às normas de segurança e de qualidade na prestação do serviço.

No que diz respeito aos usuários, além de aumento na fiscalização para reduzir a evasão de receitas e aumentar a capacidade de investimento, junto com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES), o sindicato atuou com o objetivo de melhorar a segurança dentro dos coletivos.

De janeiro a novembro, por exemplo, foram encaminhadas 428 imagens de ocorrências dentro dos coletivos à polícia. Para evitar fraudes, o GVBus aplicou 6.264 penalidades aos beneficiários dos cartões de gratuidade usados indevidamente, com a ajuda do sistema de biometria facial.

Além disso, as empresas deram continuidade à instalação de catracas altas nos ônibus para inibir os pulos de roleta e aumentar a sensação de segurança dentro dos coletivos. A medida reduziu essa prática em 92% e hoje o sistema conta com 268 roletas duplas.

De 2018, pondera Anderson, ficam as experiências adquiridas e o pensamento positivo para o ano que virá. “Todos os setores estão esperançosos com as mudanças que podem acontecer no País e a possibilidade de uma melhora na economia. Para nós, esse sentimento não é diferente. Continuamos com os pés no chão e não pretendemos parar, já que temos projetos importantes em andamento e a nossa expectativa é chegar ao final do ano que vem com o sentimento de missão cumprida”.

Retrospectiva 2018 – Números do Sistema Transcol

  • 158.042.269 passageiros transportados
  • Média de 1.420 ônibus operantes por dia
  • Greve dos caminhoneiros – Sistema Transcol manteve 100% da frota nas ruas
  • Ampliação do número de catracas altas dentro dos coletivos para 268
  • Parceria com os Cartões da Casa
  • Novos validadores: modernização dos equipamentos dentro dos coletivos: bilhetagem, câmeras de videomonitoramento, biometria facial e GPS.
  • Lançamento de site mais moderno e dinâmico
  • Fechamento do Terminal de Itaparica
  • Entre 2014 e 2018, acúmulo de 18% de queda de demanda
  • 9 ônibus queimados
  • 428 imagens de crimes encaminhadas para a polícia
  • 6.264 penalidades aplicadas com a ajuda do sistema de biometria facial

Números entre janeiro e novembro de 2018

Dados: GVBus

Comunicação GVBus

Autor Comunicação GVBus

Mais posts de Comunicação GVBus

Deixe um comentário